Como fazer um relatório gerencial e quais os seus benefícios

Imagem mostra como fazer um relatório gerencial

Existe alguém na sua empresa que saiba como fazer um relatório gerencial? Se não, é importante alterar a situação, uma vez que esse documento é essencial para realizar uma boa gestão na sua companhia.

Isso é verdade, pois uma boa gestão depende da tomada de boas decisões. Para que seja tomada uma boa decisão, capaz de levar a empresa para o caminho correto, é necessário ter boas informações contextualizadas. E isso só vem ao aprender como fazer um relatório gerencial adequado.

Quer aprender mais sobre esse documento, suas vantagens e como realizá-lo? Basta seguir a leitura deste artigo.

Afinal de contas, o que é um relatório gerencial?

Gerenciar uma empresa não é tarefa fácil. Aliás, exige muito trabalho para gerenciar até mesmo empresas pequenas, startups ou mesmo a vida profissional de um prestador de serviços.

O segredo de uma boa gestão, no entanto, está em uma boa tomada de decisões focando no sucesso da companhia. Para isso, é importante ter em mãos dados e informações atualizadas, que demonstrem de maneira fidedigna o contexto atual da empresa.

O relatório gerencial é exatamente isso: um documento com uma avaliação completa da situação da empresa, que permite que os seus gestores possam basear as suas tomadas de decisões de maneira confiável como uma espécie de auditoria contábil.

Existem vários tipos de relatórios gerenciais. Confira alguns:

  • Crescimento: é um relatório que ajuda no posicionamento estratégico da empresa, analisando o quanto ela já cresceu (podendo ser subdividido em áreas ou produtos), bem como oportunidades futuras de crescimento;
  • Financeiro: é um relatório essencial para o planejamento financeiro da companhia, pois mostra os números do fluxo de caixa da empresa;
  • Vendas: ajuda a acompanhar o desempenho de vendas da companhia, sendo útil para estabelecer estratégias de marketing e outros;
  • Satisfação: é um relatório que pode medir a satisfação interna dos colaboradores da companhia ou a satisfação externa dos clientes, além de analisar a visão do público em geral sobre a empresa;
  • Controle: é um dos tipos mais importantes de relatórios gerenciais, pois fornece dados para as decisões de controle interno da companhia, como contabilidade de custos, gestão de estoque, materiais, equipamentos internos, fornecedores e muito mais;
  • Orçamento empresarial: esse relatório demonstra os resultados dos investimentos realizados pela empresa e ajuda a otimizar a alocação de recursos da companhia;
  • Balanço Patrimonial: é um relatório que faz o levantamento de todo o patrimônio da companhia.

Quais as vantagens de fazer um relatório gerencial?

Realizar um relatório gerencial é uma tarefa complexa (nós veremos a seguir como ela pode ser difícil). Por isso, para fazê-la, devemos ter muitas vantagens como incentivo, não é mesmo? Com certeza sim.

Veja a seguir algumas das vantagens de fazer um relatório gerencial.

Montar um histórico de dados

As melhores decisões são aquelas baseadas em dados. Quanto mais dados obtidos e acumulados de maneira inteligente, mais fácil será tomar decisões. Os relatórios gerenciais ajudam ao criar uma série histórica de informações que permite avaliar o crescimento de diversos setores da companhia, além de analisar o impacto de várias ações.

Retirar o aspecto emocional da gestão

Muitos empresários confiam demais no seu “instinto” na hora de gerenciar uma empresa. É claro que um bom empreendedor sempre terá aquele feeling que o diferencia dos demais, mas é um erro colocar toda a sua empresa dependente de um aspecto subjetivo.

Por isso, o relatório gerencial é útil ao tirar de cena o aspecto emocional da gestão e permitir que ela seja realizada de maneira racional.

Otimizar o tempo de gestão

Outra vantagem interessante de um relatório gerencial é que ele permite a otimização do tempo dos gestores e administradores da companhia. Com o relatório em mãos, fica muito mais fácil tomar decisões e planejar o futuro da companhia.

Ganhar vantagem competitiva

A empresa que tem mais dados e informações para planejar a sua estratégia de mercado ganha, por consequência, uma vantagem competitiva, especialmente em um setor onde a maioria dos atores são pequenas companhias que não “se importam” com essas coisas.

Como fazer um relatório gerencial?

Finalmente chegamos ao ponto prático do artigo: como fazer um relatório gerencial? O trabalho é complexo, mas vale a pena.

O primeiro passo é estabelecer uma metodologia de coleta e trabalho de dados para que as informações sejam fidedignas e apresentadas de maneira contextualizada.

Definida a metodologia. O responsável pelo relatório deverá definir um objetivo para o documento e coletar todos os dados que sejam relevantes para essa meta. Se a ideia é acompanhar o setor de vendas, por exemplo, será essencial coletar todas as informações referente às vendas, desde as diretas (quantas vendas feitas, quantas negociações iniciadas, taxa de conversão, estratégias de vendas, etc.) até as indiretas (investimento em marketing, produção, desenvolvimento do setor, etc.).

Com os dados coletados, o responsável pelo relatório deverá trabalhar as informações, traçar conclusões científicas e montar o documento de modo a apresentar suas conclusões de maneira objetiva aos gestores.

Viu como um relatório gerencial pode ser feito? Não é uma tarefa fácil, mas é importante para a sua companhia. Se você não tem alguém que faça o serviço para você, que tal contratar uma consultoria de contabilidade?

Entre em contato com a nossa equipe agora mesmo e descubra como podemos ajudar no planejamento da sua empresa.

Deixe seu comentário

WhatsApp chat