Pequena empresa: como fazer o controle financeiro

Imagem mostra empresário fazendo o controle financeiro de pequena empresa

O controle financeiro de uma pequena empresa é algo extremamente importante para o futuro dos negócios desse porte. Isso porque, dos mais de 12 milhões de negócios de pequeno porte no país, 60% desaparecem até o segundo ano.

O principal motivo para a falência dos pequenos negócios é a falta de controle financeiro de pequena empresa, ou seja: por não saberem se organizar, os empreendedores fracassam.

Uma das razões pelas quais é tão difícil fazer o controle financeiro de pequena empresa é que um único empreendedor normalmente faz todo o trabalho no negócio.

O dono cuida do marketing, das contratações e demissões, da produção, do planejamento… enfim, ele assume praticamente todas as facetas do seu próprio negócio.

No entanto, por não ser um especialista em contabilidade ou planejamento financeiro, é comum que o empreendedor não consiga tirar o melhor dessa situação e acabe se complicando.

Mas é possível corrigir isso? Existe uma maneira fácil de fazer o controle financeiro de pequena empresa? Claro que sim. Para saber mais sobre isso, siga a leitura.

Entenda o que são alguns termos de contabilidade

O primeiro passo para cuidar do controle financeiro de pequena empresa é estudar o básico sobre contabilidade e administração, já que são esses conhecimentos que ajudam a evitar que o negócio venha a fracassar.

Por exemplo, é essencial saber o que é escrituração contábil, fluxo de caixa, margem de lucro, qual o melhor regime tributário e tantos outros assuntos.

Dessa forma, o empresário pode começar a se acostumar com o básico dos melhores hábitos e conhecimentos que ajudarão sua empresa a não ir à falência.

Comece o controle financeiro de pequena empresa pelo caixa

Na hora de colocar a mão na massa, a melhor maneira de fazer o controle financeiro de pequena empresa é pelo caixa. Não só no sentido do caixa físico de uma loja, mas também na conta corrente da empresa.

O controle deve começar pelo registro obsessivo de toda as movimentações financeiras realizadas pela empresa. Cada dinheiro que entrar e sair do caixa deve ser anotado.

Mais do que anotado, cada movimentação financeira deve ser classificada em custos ou receitas, além de subcategorias de gastos e subcategorias de ganhos, caso existam.

Dessa forma, a vida financeira da sua pequena empresa começa a ficar mais organizada e permite que você possa fazer planejamentos, encontrar problemas e corrigir as situações antes que elas evoluam.

Suponha que todos os dias você retire R$50,00 do caixa da empresa a título de “miscelâneas”, por exemplo. No fim do mês, isso corresponde a R$1.500,00, o que pode ser 10% do faturamento de uma pequena empresa que ganha R$15.000,00 por mês.

Sendo assim, de pouco em pouco, algo que você nem sabia que ia saindo, consumiu 10% do seu faturamento. Por isso é importante anotar e classificar os gastos.

Planeje sua movimentação financeira em curto e médio prazo

Depois de um tempo com o controle financeiro da pequena empresa, você pegará o ritmo das finanças e poderá começar a alçar voos mais altos, como fazer um planejamento financeiro, por exemplo.

O planejamento financeiro é uma maneira de guiar o crescimento da sua companhia, pensando sempre no tipo de ação que você fará para aumentar as vendas e aproveitar ao máximo a situação econômica do país.

No caso das pequenas empresas, em que as variações macroeconômicas são mais intensas, é importante ter planos reservas para garantir a saúde financeira, caso venha  ocorrer uma crise.

Além disso, a empresa não pode sacrificar seu ritmo de crescimento e deve, portanto, se organizar para pegar empréstimos de modo a aumentar a produção.

Monte métricas para acompanhar o desempenho da empresa

Um cuidado essencial que todo empresário deve ter, mas poucos têm, é o de montar um painel de métricas e informações que possam ajudar a compreender o desempenho da empresa.

As métricas são variadas e devem abordar todas as áreas da empresa: vendas, compras, conversão de marketing, exposição, capacidade produtiva e muito mais.

Com o controle das métricas, o empreendedor terá mais condições de medir o efeito de suas ações. Será que anunciar com flyers na sua cidade aumenta as vendas? É possível descobrir sim.

Contrate uma consultoria de contabilidade para ajudar no trabalho

Muitos pequenos empreendedores consideram que contratar serviços no estágio inicial de suas empresas é colocar um gasto que eles não precisam.

No entanto, nem todo gasto é considerado um prejuízo. Existem gastos que são, na verdade, investimentos. A contabilidade é um bom exemplo.

Imagine que você seja dono de um pequeno negócio que produz roupas artesanais para vender. Cada uma hora que você gasta com sua contabilidade, é uma hora a menos de produção.

Se você produz duas peças de roupa de R$50,00 por hora, então a cada hora na contabilidade são menos R$100,00 no faturamento. Em um mês, considerando 22 dias de trabalho, são R$2.200,00 a menos.

Como o serviço de contabilidade permite que o pequeno empresário possa focar mais na sua produtividade, então ele é um investimento que se paga sozinho com o ganho obtido pelo trabalho extra.

Se você se interessou pelo assunto, mas ainda tem dificuldades para fazer o controle financeiro de uma pequena empresa, que tal contar com o apoio de uma equipe especializada?

Para isso, entre com contato conosco e saiba como podemos ajudar a sua empresa a subir de nível!

Deixe seu comentário

WhatsApp chat