Contabilidade de startups: confira 5 dicas importantes

Engana-se quem pensa que a contabilidade de startups é diferente dos processos contábeis que as empresas normais fazem.

As startups podem se comportar de maneira disruptivas no mercado ou organizar seus processos internos de forma inovadora e flexível, mas ainda devem cumprir as obrigações contábeis exigidas de outras empresas. Com um agravante: precisam fazer isso dentro da sua estrutura enxuta.

Se você tem uma startup ou quer abrir uma, mas tem medo do processo de contabilidade de startups, não precisa temer. Confira a seguir 5 dicas que facilitarão sua vida contábil.

1. Tenha atenção com os investimentos-anjo que receber

A aprovação da Lei do Investidor-Anjo em 2016 ajudou a regulamentar a tributação dos investimentos-anjo e facilitou a vida das startups. No entanto, isso não significa que não seja necessário ter atenção com esses recursos.

Antigamente, os investimentos-anjo feitos para uma startup contavam como faturação e poderiam inclusive mudar a empresa de regime tributário, caso não houvesse cuidado no cálculo ou captação em excesso.

O problema foi resolvido com a Lei do Investimento-Anjo, que regularizou a situação e passou a considerar aportes desse tipo como não tributáveis.

No entanto, é necessário que o investimento-anjo siga alguns requisitos para ser contabilizado assim. Veja quais são:

  • o investimento deve vir de alguém que não seja sócio da startup, não tenha qualquer tipo de gerência na empresa e não ganhe voto na administração interna da companhia;
  • quem fizer o investimento não pode ser considerado responsável por dívidas da empresa;
  • o investidor receberá remuneração pelo seu investimento por, no máximo, 5 anos.

2. Faça a escrituração contábil para se organizar melhor

O processo de escrituração contábil é um dos mais negligenciados por micro e pequenas empresas. Por isso mesmo, é comum que companhias de pequeno porte tenham problemas financeiros e cometam erros.

A escrituração contábil consiste no registro de todas as movimentações financeiras feitas pela empresa, incluindo todos os valores recebidos e gastos durante o dia.

Esse processo é crucial pois ajuda a startup a ter um registro de cada centavo que passou pelas suas contas. Isso ajuda a organizar as finanças, estruturar os gastos e permite traçar estratégias administrativas que garantam sua vivência por anos e anos.

Outro benefício para a startup que fizer a escrituração contábil é a facilidade para a captação de investimentos-anjo. Como está com as finanças organizadas, a empresa passa mais confiança aos investidores, que se sentem mais confortáveis em realizar aportes.

3. Separe as contas pessoais das contas da empresa

Essa é uma dica básica para qualquer empresa de micro, pequeno e médio porte, mas é essencial para startups: nunca misture as contas pessoais do dono com as da empresa.

Existem duas razões simples, mas profundas para isso. A primeiras delas é a organização financeira. 

Se os recursos que a empresa ganhar forem direcionados para a conta pessoal do dono dela, cria-se uma desorganização que impede saber exatamente como está a saúde financeira da companhia.

Já a segunda razão é ainda mais importante: os investimentos-anjo. Nenhum investidor se sentirá confortável em realizar aportes na conta pessoal de alguém, por mais interessante que seja o produto que a empresa vende.

Se a startup deseja captar recursos no mercado, deve ter seu lado financeiro impecável e sem confusão de contas.

4. Use a tecnologia para facilitar os processos contábeis

A contabilidade de startups pode parecer complicada e difícil para quem não é da área, mas ela conta com uma vantagem que outras empresas não possuem: a facilidade de usar a tecnologia.

Por definição, as startups são empresas recentes. Por isso, não contam com toneladas de arquivos financeiros em papel em seus escritórios.

Assim, elas podem simplesmente fazer tudo de forma digital – até a sua contabilidade. É possível armazenar documentos em nuvem, guardar contratos de trabalho digital e até mesmo a escrituração contábil por softwares.

Além disso, como grande parte das startups trabalham com tecnologia, faz todo sentido facilitar a contabilidade com programas e aplicativos.

5. Peça ajuda para fazer a contabilidade de startup

Uma das dificuldades das startups para fazer suas tarefas de contabilidade é encontrar tempo ou recursos humanos para isso.

Contratar um contador a tempo integral pode sair caro demais para uma empresa que trabalha de maneira enxuta e passa boa parte do tempo no vermelho, buscando investimentos até que possa lançar seu produto.

Além disso, se o dono da startup fizer todo o trabalho, não sobra tempo para que ele possa se dedicar ao desenvolvimento do seu produto ou na captação de investimentos, o que diminui sua produtividade.

Por isso é interessante contratar uma consultoria de contabilidade externa, que ajude a lidar com as finanças da sua startup e permita que você tenha mais tempo para trabalhar nela.

Assim, a produtividade da startup aumenta, suas finanças ficam organizadas e os custos diminuem, já que pagará menos impostos e perderá menos dinheiro.

Viu como a contabilidade de startups não tem segredo? Basta manter as contas atualizadas para captar mais investimentos e ter tempo disponível para desenvolver seu produto com tranquilidade.

Se você busca por ajuda especializada em contabilidade de startups, entre em contato conosco para conhecer nossas soluções e saber como podemos ajudar a sua empresa a alçar voos mais altos!

 

Deixe seu comentário