Qual a melhor tributação para clínica médica?

Aprenda a achar a melhor tributação para clínica médica

Empreender não é uma tarefa fácil. É necessário resolver uma série de detalhes importantes para poder colocar uma empresa de pé, funcionando do jeito certo e com espaço para crescer. Sem conhecimento técnico, não dá para iniciar essa jornada da maneira correta. O que acontece, por causa disso, é que o negócio fica com bases estruturais frágeis e acaba sucumbindo. Por isso, é essencial entender como estabelecer sua empresa do jeito certo. Por exemplo, você sabe qual a melhor tributação para clínica médica?

Muitos médicos, recém-formados na faculdade, acabam abrindo clínicas para atender seus pacientes, mas não aprenderam na faculdade os detalhes específicos da parte administrativa deste trabalho e nem como lidar com as demandas contábeis do assunto. Por causa disso, é normal cometer erros significativos, que podem inclusive minar o potencial de crescimento da empresa. Um desses erros é justamente escolher o regime tributário errado para o negócio e acabar pagando mais tributos ou tendo mais trabalho para resolver os problemas.

Para evitar isso, é necessário aprender qual a melhor tributação para clínica médica, como cada sistema funciona e de que maneira escolher o ideal para você. Quer aprender tudo isso? Então siga a leitura abaixo!

Quais as opções de tributação para clínica médica?

Ao todo, existem 3 opções de regime tributário para clínicas médicas. São eles:

 

Existem ainda outros regimes tributários no Brasil, como o MEI e o Inova Simples (ambos modificações específicas do Simples Nacional), mas que não aceitam clínicas médicas dentro dos seus requisitos.

Cada uma dessas 3 opções válidas tem um funcionamento específico que deve ser levado em conta na hora de escolher a melhor tributação para clínica médica. A começar pelo Simples Nacional, que é um regime criado para simplificar o pagamento de impostos por parte das empresas.

O requisito básico para participar do Simples Nacional é ter um faturamento máximo de R$4,8 milhões por ano, além da empresa precisar ser uma EPP (Empresa de Pequeno Porte) ou uma ME (Microempresa).

Já entre o Lucro Presumido e o Lucro Real, a diferença está no faturamento máximo permitido (o Presumido aceita empresas que ganham até R$78 milhões, enquanto o Real não tem limites). Além disso, alguns ramos de negócios devem obrigatoriamente se enquadrar no Lucro Real, mas uma clínica médica não está entre eles.

Para a empresa, a distinção entre Lucro Presumido e Real está na maneira como o cálculo dos tributos é feito (especialmente os do Imposto de Renda de Pessoa Jurídica e da Contribuição Social sobre Lucro Líquido). No Lucro Presumido, a Receita Federal determina uma porcentagem específica para o ramo de clínicas médicas (11,33%) e aceita que aquela é a margem de lucro da empresa. Os dois impostos citados são, então, cobrados sobre essa parcela de lucro presumido.

Já no Lucro Real, a alíquota dos impostos mencionados incide sobre a margem de lucro real da empresa, que deve ser comprovada por meio de documentos contábeis específicos.

Qual a melhor tributação para clínica médica?

Dentre as três opções mencionadas, qual é a melhor tributação para clínica médica? A tendência dos empreendedores médicos, especialmente aqueles que contam com clínicas e consultórios de pequeno porte, é achar que a resposta certa é o Simples Nacional. No entanto, não dá para dizer com certeza qual é a melhor opção sem avaliar cada caso.

Isso porque a tributação em questão varia muito de acordo com o faturamento da clínica, sua localização e seu próprio modelo de negócios.

Por exemplo, dependendo da cidade onde a clínica esteja instalada, o ISS cobrado pode variar de 2% a 5%, o que já faz uma diferença considerável. Além disso, dependendo da margem de lucro que a clínica tem, pode ser melhor ir com o Lucro Presumido ou com o Real. Isso, claro, considerando também o faturamento anual do estabelecimento, que em muitos casos pode ultrapassar o limite de R$4,8 milhões do Simples Nacional (especialmente se contar com muitos médicos).

Portanto, não há como estabelecer uma regra de que o Simples Nacional é o melhor ou o Lucro Presumido é a opção mais interessante. Depende de cada caso.

Como saber por qual sistema tributário optar?

Apesar de não haver uma regra que diga qual é o melhor regime tributário para uma clínica, há maneiras de descobrir qual a opção mais interessante para o seu caso. Para isso, é necessário o apoio de um contador especializado que fará o planejamento tributário da empresa e calculará a carga tributária com cada opção.

Após fazer o cálculo considerando cada alíquota em vigor e a previsão de faturamento da empresa, será possível encontrar aquela opção que traz a melhor carga tributária para a clínica médica. No entanto, isso só pode ser feito do jeito certo com um contador especializado, que conhece todas as cobranças, alíquotas e regras do sistema tributário.

Pronto! Agora que você já sabe como definir qual a melhor tributação para clínica médica, é hora de colocar a mão na massa para abrir a sua empresa e empreender na área de saúde. Lembre-se de que será necessário estabelecer bases sólidas para sua clínica crescer e não ser suprimida por causa de uma carga tributária excessiva ou mais complexa do que o necessário.

Se você precisa de apoio para fazer um planejamento tributário e reduzir os custos da sua clínica, entre em contato com a nossa equipe e saiba como podemos ajudar!

Deixe seu comentário

WhatsApp chat