Como o planejamento tributário pode ajudar uma empresa a crescer

A sua empresa já realizou um planejamento tributário? Se não, pode estar perdendo uma excelente oportunidade de ultrapassar os competidores. Ou pior: eles podem aproveitar essa chance e deixá-lo para trás.

É verdade que a área contábil é complicada, especialmente no Brasil. Mas dominar esse setor significa ter em mãos uma ferramenta poderosa para estimular o crescimento da empresa de uma maneira saudável e sustentável.

Parece bom demais para ser verdade? Então confira 5 maneiras que o planejamento tributário ajuda uma empresa a crescer.

1) Escolhendo o sistema tributário correto para cortar custos

MEI, Simples Nacional, Lucro Real ou Lucro Presumido: qual desses regimes tributários é o da sua empresa? Mais importante do que isso: qual deles é o melhor para a sua companhia?

Se você escolher o sistema errado, pode pagar mais impostos do que o necessário; talvez, até limitar as suas opções de atuação.

Por exemplo: imagine que a sua empresa trabalha no Simples Nacional, com um faturamento anual de R$ 860 mil, se encaixando nas alíquotas do Anexo III (o caso de um pet shop que oferece banho e tosa, por exemplo).

Com esse faturamento, a alíquota de imposto é de 16%. Em compensação, se a empresa optasse pelo Lucro Presumido, poderia pagar 13,33% dependendo da alíquota do ISS da sua cidade. Nesse caso, optar pelo Simples Nacional é perder dinheiro.

2) Entendendo o melhor lugar para implementar a empresa

O exemplo anterior ajuda a entender o nosso segundo ponto: como uma localização influencia nos custos de uma empresa.

Você já sabe que alguns impostos são municipais; outros, federais. Por exemplo, o COFINS é o mesmo no Brasil inteiro, mas o ISS muda de cidade para cidade.

Por isso, pode ser vantajoso colocar a sua empresa em São Paulo ou em Belo Horizonte, por exemplo. Dependendo da cidade escolhida, a economia pode chegar a alguns milhares de reais por ano.

Além do alívio na carga tributária, é importante avaliar outros aspectos na hora do planejamento tributário – o custo de mão de obra em cada cidade, além da estrutura local.

Às vezes, uma cidade pode oferecer uma alíquota de ISS menor, mas poderá resultar num frete mais caro, que não compensará no fim do ano. É importante ter todas essas despesas na ponta do lápis, antes de tomar uma decisão.

3) Evitando multas e outros custos com erros tributários

Um erro normal em uma empresa já traz algum prejuízo. Às vezes é um material de escritório perdido, alguma matéria-prima desperdiçada, vendas que são ressarcidas, enfim, fatos que acontecem.

Um erro contábil, porém, costuma ter uma consequência bem mais desastrosa.

Imagine que a sua empresa demitiu um determinado funcionário por alguma razão específica, mas o RH esqueceu de dar baixa na carteira de trabalho dele. É um erro bobo, simples, mas com consequências péssimas.

Nesse caso, a empresa estaria vulnerável a um processo trabalhista, uma indenização por danos morais e uma multa aplicada pela Justiça Trabalhista.

Isso sem falar em multas por entregar declarações atrasadas, esquecer documentos e tantos outros erros simples, que são facilmente corrigidos com um bom planejamento tributário.

4) Organizando a escrituração contábil para evitar desperdícios

Você sabe o que é escrituração contábil? Trata-se da documentação de todas as movimentações financeiras da empresa: cada produto vendido, cada material comprado, cada litro de gasolina no carro de um vendedor ou vale-refeição para cada colaborador, entre outras.

Tudo isso é registrado com precisão para garantir que as informações corretas sejam declaradas à Receita Federal, a fim de evitar multas e outros problemas.

Uma das vantagens de ter uma escrituração contábil organizada é ter um controle preciso do fluxo de caixa da empresa. Assim, é possível evitar vazamentos de recursos e manter as finanças mais controladas.

5) Aumentando a competitividade da empresa

Deu para perceber que o planejamento tributário ajuda a reduzir os custos operacionais de uma empresa, certo? Nós já mostramos como isso é possível ao pagar menos impostos, evitar multas, indenizações e perdas financeiras por desorganização.

Se a empresa segue um bom planejamento e não gasta tanto, desnecessariamente, isso a coloca em uma posição muito favorável no mercado: ela ganha competitividade.

Imagine uma empresa que produz bicicletas. Cada unidade é vendida por, digamos, R$-700,00. Mas a companhia é desorganizada, perde muito dinheiro, paga impostos que não devia e sempre tem uma multa a quitar.

Por causa disso, a margem de lucro em cada bicicleta é muito pequena. Digamos que é de 10%, ou seja, a cada modelo vendido, a empresa lucra R$-70,00. Em um mês, com mil unidades vendidas, ela ganhou R$-70 mil.

Com um bom planejamento tributário, a empresa consegue diminuir os custos em cima dessa mesma bicicleta. Pagando menos impostos e evitando perder dinheiro em outras áreas, a margem de lucro sobe. Agora ela ganha 30% em cada modelo, ou seja, o custo de cada produto é de R$-490,00 e o lucro é de R$-210,00.

Se ela vender as mesmas mil unidades, passa a lucrar R$-210 mil no mês. Mas isso não é tudo, ainda tem mais!

Imagine que a empresa faça um estudo de mercado e descubra que, se ela diminuir o preço de venda para R$-650,00, ela baixa a sua margem de lucro, mas aumenta o número de unidades vendidas. Em vez de vender 1.000 bicicletas, passa a vender 1.700, pois o preço é menor que o da concorrência, portanto mais atrativo.

Nesse caso, o lucro mensal seria de R$-272.000,00. Mesmo com um preço menor, o lucro é maior. Isso é possível por causa do ganho de competitividade obtido pelo enxugamento de custos.

Viu como o planejamento tributário é importante para a sua empresa? Com ele, é possível encontrar maneiras de como aumentar a lucratividade do seu negócio.

Se você gostou desse artigo, compartilhe-o em suas redes sociais e marque amigos que possam se interessar pelo conteúdo.

Deixe seu comentário