Preciso realizar a abertura da empresa com outros corretores de seguros?

Preciso realizar a abertura da empresa com outros corretores de seguros? Aprenda agora mesmo!

Uma das dúvidas mais comuns de quem quer trabalhar com a corretagem de seguros no mercado nacional é: “preciso realizar a abertura da empresa com outros corretores de seguros, ou posso fazer por conta própria?”. Essa é uma questão que faz sentido, partindo do princípio de que muitas empresas da área começaram com a união de corretores para criar uma espécie de cooperativa entre eles.

Por isso, quem quer empreender na área de seguros e gostaria de emitir CNPJ para isso, pode ficar em dúvida se a legislação exige que a empresa da área seja composta por várias pessoas, ou se apenas um profissional pode compor o quadro do negócio ao criá-lo. Além disso, é importante ter em mente que, por mais que um ou outro cenário seja permitido, é preciso entender qual deles é o mais vantajoso.

E aí, quer aprender se você precisa realizar a abertura da empresa com outros corretores de seguros? Então, siga a leitura do artigo abaixo!

Preciso realizar a abertura da empresa com outros corretores de seguros?

Será que você precisa abrir a sua empresa para trabalhar com corretagem de seguro junto de outros corretores do mercado? A resposta para isso é simples: não. É claro que não precisa: a sua empresa pode ser só sua, inclusive caso você queira um CNPJ para atuar de maneira independente no mercado.

No Brasil, segundo dados oficiais da FENACOR (Federação Nacional de Corretores de Seguros), existem atualmente cerca de 67 mil corretores ativos. Desses, cerca de 44 mil atuam de forma independente, como pessoas físicas. Já os outros 23 mil atuam como pessoa jurídica, em corretoras ou sociedades corretoras com outros profissionais.

Portanto, há flexibilidade para atuar profissionalmente da maneira que fizer mais sentido dentro do seu contexto.

Como abrir empresa para trabalhar como corretor de seguros?

Se você deseja abrir uma corretora de seguros, precisa cumprir algumas exigências básicas estabelecidas pela SUSEP (Superintendência de Seguros Privados). A primeira delas é a obtenção de uma habilitação para vender seguros (que você já deve ter caso queira trabalhar como pessoa física na área). Essa habilitação é feita pela Escola Nacional de Seguros, que emitirá um Certificado de Habilitação Técnico Profissional, comprovando a sua capacidade de trabalhar na área.

O próximo passo é inscrever-se no IBRACOR (Instituto Brasileiro de Autorregulação do Mercado de Corretagem de Seguros, de Resseguros, de Capitalização e de Previdência Complementar Aberta). O processo para isso é o seguinte:

  • preencha um formulário;
  • apresente documentos como RG, CPF, quitação com a justiça eleitoral e serviço militar;
  • apresente comprovante de endereço;
  • preencha a ficha de adesão ao IBRACOR;
  • pague a taxa de serviços.

Esse é o processo para você fazer o cadastramento como um corretor adequado para trabalhar na área. Será vital também cadastrar a sua empresa como uma corretora de seguros. O processo é o mesmo, mas com outros documentos:

  • ato constitutivo ou contrato social da empresa, devidamente registrado;
  • RG, CPF e outros documentos citados anteriormente para todos os sócios da empresa;
  • declaração de não impedimento legal para todos os sócios;
  • CNPJ;
  • ficha de adesão ao IBRACOR;
  • pagamento da taxa de serviços.

Esses são os passos específicos para quem quer abrir uma corretora de seguros no Brasil atualmente. Além de realizar todo esse procedimento, será importante cuidar de toda a burocracia básica para todas as empresas que são abertas no país.

Isso inclui criar o contrato social (já mencionado), emitir o CNPJ, conseguir um NIRE (espécie de RG da empresa), fazer a Inscrição Estadual e obter o alvará de funcionamento do seu negócio.

Além disso, será preciso cuidar também de todos os procedimentos operacionais para colocar a sua corretora para funcionar. Eles incluem:

  • ter um local para trabalhar: isso inclui um imóvel comercial para ser a sede da sua empresa, nem que seja um coworking com endereço jurídico válido para o seu negócio;
  • equipamentos: compra de todos os equipamentos para o trabalho, como mesas, computadores e mais;
  • seguros para negociar: firmar contrato de corretagem com as operadoras de seguros para poder negociar seus produtos com os consumidores;
  • estratégia de marketing: estabelecer uma estratégia publicitária para atrair e converter clientes para fechar negócios mais facilmente.

O processo de abrir uma corretora de seguros não é fácil. Pode ser que seja por isso que a maior parte dos corretores preferem atuar como pessoa física do que como pessoa jurídica. No entanto, existem muitos benefícios a usufruir disso, como menos impostos a serem pagos e mais flexibilidade no mercado.

Agora que você já entendeu que não precisa realizar a abertura da empresa com outros corretores de seguros, pode começar a planejar como será essa transição na sua vida profissional e de que modo formalizar melhor a sua pessoa jurídica para estar legalizado, sem riscos com a Receita Federal e, principalmente, pagando poucos tributos sobre o seu rendimento.

Quer saber como garantir que você terá poucos impostos para pagar na área? Então, entenda agora mesmo a importância de uma contabilidade diferenciada para corretores de seguros!

Deixe seu comentário

WhatsApp chat