Ponto de Equilíbrio: o que é e como calcular

Entenda como calcular o ponto de equilíbrio

Todo empreendedor precisa saber como calcular o ponto de equilíbrio do seu negócio, de modo a garantir a saúde financeira da sua empresa. Sem o controle preciso dessa métrica, o negócio corre sério risco de fechar as portas.

Uma prova disso é o fato de que pelo menos metade de todas as empresas no Brasil acaba falindo em até 4 anos de atividades. Uma das razões disso é a falta de controle sobre as suas métricas financeiras, com o ponto de equilíbrio sendo a principal delas.

Se você quer saber o que é ponto de equilíbrio, qual a sua fórmula e como calculá-lo, siga a leitura do artigo abaixo!

O que é ponto de equilíbrio?

Ponto de equilíbrio é um conceito de contabilidade que indica qual é o estágio em que as despesas da empresa e o seu faturamento se anulam, ou seja: é o momento em que os ganhos da empresa alcançam os seus gastos em determinado período e ela não tem mais prejuízo na operação, mas ainda não tem lucro. Em outros termos ainda, significa que o ponto em que, a partir daquele momento, a empresa começará a registrar lucro em sua operação.

Se você é um iniciante no mercado, deve achar estranho esse tipo de conceito. Afinal, não deveriam todos os negócios dar lucro desde o início? Na verdade, não. Isso acontece porque existem muitos modelos de negócio que são focados em dar lucro apenas em longo prazo (o Uber nunca deu lucro e seu prejuízo em 2019 foi de $1,2 bilhão de dólares).

Além disso, mesmo as empresas comuns começam o mês no “vermelho”. Isso porque você precisa pagar salários e fornecedores no início do mês, fazendo com que primeiro você tenha despesas e só depois tenha o faturamento que vai gerar o resultado positivo.

O ponto de equilíbrio, portanto, é a quantidade de vendas que a empresa precisa atingir para poder chegar a um estágio em que ela não tenha mais prejuízo e passa a ter lucro. Sem alcançar esse “mínimo” regularmente, o negócio está fadado ao fracasso.

Qual a fórmula do ponto de equilíbrio?

A fórmula do ponto de equilíbrio é um ponto essencial no uso dessa métrica na análise contábil e financeira da sua empresa. Para usá-la, no entanto, é necessário entender quais são os elementos básicos que a influenciam. 

O primeiro ponto a se ter em mente é entender que existem dois tipos de despesas consideradas na hora de calcular o seu total de gastos. O primeiro tipo é o custo fixo, que são as despesas que ocorrem frequentemente, sem dependência com o seu volume produtivo. Veja alguns exemplos abaixo:

  • aluguel;
  • impostos;
  • folha de pagamento;
  • serviços necessários para o trabalho (marketing, segurança, etc.);
  • insumos administrativos.

Já o segundo tipo de despesas são aquelas que variam com o tempo ou capacidade produtiva da empresa. Por exemplo:

  • matéria-prima;
  • comissão de vendas;
  • acidentes e indenizações;
  • multas.

Já o segundo elemento da fórmula é a margem de contribuição. Basicamente, ela é obtida quando tiramos todos os custos variáveis da venda de um produto. Lembra que as despesas variáveis são aquelas ligadas com a sua capacidade produtiva? Pois bem, a ideia para encontrar a margem de contribuição é retirar os custos variáveis do faturamento. Assim chegaremos a quanto cada produto/serviço vendido contribui para pagar as despesas fixas da empresa.

Com isso em mente, basta usar a fórmula do ponto de equilíbrio contábil. Confira a seguir:

  • Ponto de Equilíbrio = custos fixos / margem de contribuição.

Como aplicar o conceito na prática?

Agora que já entendemos o que é ponto de equilíbrio e vimos a sua fórmula, é hora de aplicar o conceito na prática para poder entender como usá-lo.

Imagine que você tenha uma empresa que produz móveis de madeira para vender na Internet. Considerando os seus custos fixos, você tem uma despesa de R$15.000,00 com funcionários, aluguel, IPTU e outros.

Já em relação a sua produção, cada móvel custa ao redor de R$150,00 para ser feito e é vendido por R$600,00. Qual é o seu ponto de equilíbrio? Vamos aplicar tudo na fórmula que vimos antes:

  • PE = custos fixos / margem de contribuição;
  • Margem de contribuição = R$600,00 (valor de venda) – R$150,00 (custo variável de cada produto);
  • Margem = R$450,00.
  • PE = R$15.000,00 / R$450,00;
  • PE = 33,3333….

Em teoria, a empresa precisaria vender 33,3333…. móveis para alcançar o seu ponto de equilíbrio. Se ela vendesse 34, já começaria a ter lucro.

E aí, gostou de aprender mais sobre o assunto? Como pôde ver, o ponto de equilíbrio não é um grande mistério, não é mesmo? Ao contar com essa ferramenta ao seu lado, você estará mais habilitado para lidar com a parte contábil do seu empreendimento.

Se você gostou do assunto e quer aprender mais, veja o nosso artigo sobre precificação de produtos e entenda mais sobre como a margem de contribuição é formada!

Deixe seu comentário

WhatsApp chat