O que fazer para evitar demissões durante a pandemia do coronavírus?

Saiba o que fazer para evitar demissões durante pandemia na sua empresa

Uma das grandes preocupações dos empresários atualmente é como evitar demissões durante a pandemia do coronavírus. Afinal, é fato que a situação tem gerado um dano econômico considerável.

De acordo com a CNN Brasil, foram 600 mil pequenas empresas que fecharam as portas por causa da pandemia e por não ter condições de seguir operando no país.

Para muitas outras empresas, uma das principais ações para tentar combater a queda no faturamento do negócio durante a pandemia é demitir funcionários.

No entanto, isso traz mais consequências negativas em longo prazo do que benefícios em curto prazo. Por isso, listamos abaixo algumas ações para evitar demissões durante a pandemia do coronavírus e ainda manter seu negócio com as contas em dia.

Siga a leitura para saber mais!

Como evitar demissões durante a pandemia do coronavírus

1. Planeje-se adequadamente para a situação

Ninguém sabe com certeza quando a pandemia do novo coronavírus terminará. O que sabemos é que já existem testes de vacinas experimentais na China, além de diversos remédios sendo testados para a situação.

Por não sabermos quando o evento acabará, é importante adotar um planejamento completo, capaz de tornar a sua empresa sustentável nesse período.

Nossa equipe, por exemplo, especula que poderá levar de 4 a 5 meses para que o mercado mundial se estabilize, depois de um mapeamento completo que fizemos.

Por isso, é importante que você comece o seu planejamento listando todas as suas fontes de receitas e gastos para poder pensar em ações que possam ampliar o faturamento e reduzir os custos.

2. Reduza os custos fixos do seu negócio

Durante o planejamento, você notará que boa parte dos seus gastos são fixos e necessários para a realização do seu trabalho. Isso inclui contas de energia, água e gás, Internet, aluguel e salários dos funcionários, por exemplo.

Por essa razão, vale a pena sentar para se planejar ou negociar com fornecedores para reduzir ao máximo os seus custos fixos. Isso ajudará a empresa a manter a folha de pagamento intacta, o que será positivo quando o negócio voltar a funcionar normalmente.

Especialistas indicam que só com a renegociação do aluguel do ponto comercial e suspensão temporária de contas básicas é possível diminuir de 20 a 30% dos custos fixos de um pequeno negócio.

Isso é necessário, pois é vital que a empresa consiga manter o seu caixa positivo. Na prática, sem um caixa positivo, o negócio não tem flexibilidade para agir e entra numa espécie de “areia movediça corporativa” que inevitavelmente leva à falência.

3. Obtenha os recursos cedidos pelo governo

O governo anunciou uma série de medidas para ajudar as pequenas, médias e grandes empresas durante a pandemia do novo coronavírus. 

Uma das medidas é uma linha de crédito para que as empresas possam arcar com a folha de pagamento e evitar demissões durante pandemia do novo coronavírus.

Esse montante deve ser usado exclusivamente para o pagamento de salários e encargos trabalhistas. Com juros muito abaixo do mercado, os empresários só deverão começar a pagar depois de alguns meses, quando se espera que a economia já tenha recomeçado, a quarentena tenha terminado e tudo esteja em ordem.

Como contrapartida pela linha de crédito, os empresários devem evitar demissões durante a pandemia, uma vez que a medida é feita para preservar empregos.

Evite usar as linhas de crédito tradicionais disponíveis no mercado, pois elas terão condições menos favoráveis e poderão complicar a empresa em longo prazo.

4. Adapte o seu negócio para continuar funcionando

Como não sabemos quando a pandemia do novo coronavírus vai acabar, é importante ter em mente que se faz necessário adaptar o seu negócio para continuar funcionando.

Pense, de certa forma, como a lei da selva: esse é um momento que exige muita adaptação para continuar vivendo.

Uma das melhores formas de continuar produzindo é migrar para o delivery. Se o seu produto pode ser transportado por uma moto, então pode estar em aplicativos de delivery.

Mesmo que o volume de vendas não seja alto, é importante ter alguma coisa para mitigar prejuízos.

Quem pode prestar serviços pela Internet, deve mover todos os seus esforços para as plataformas virtuais para conseguir atender os clientes por lá.

5. Suspender contratos ou reduzir salários

Uma das medidas aprovadas pelo governo e que devem ser usadas em último caso para evitar demissões durante a pandemia é a redução de salários ou até mesmo suspensão de contratos de trabalho durante esse período.

No caso da suspensão, o recurso pode ser usado por até 60 dias para funcionários que recebam até 3 salários mínimos. Nesse caso, o governo pagará um benefício de 100% do seguro-desemprego que esses trabalhadores teriam direito.

A redução de jornada e de salários pode ser feita desde que o profissional continue recebendo o mesmo salário por hora, ou seja: em vez dele receber um salário menor, ele trabalhará menos. Nesse caso, o governo também pagará o montante que o profissional deixará de receber. 

Essa é a melhor medida, caso o trabalhador possa contribuir com a empresa para manter pelo menos um pouco do fluxo de trabalho.

No entanto, de acordo com decisão do ministro Ricardo Lewandowski, do STF, essa medida deve ser comunicada aos sindicatos, e os acordos firmados com os funcionários devem ser encaminhados ao Ministério da Economia pelo seu site ou pelo aplicativo Empregador Web para que o governo possa arcar com a sua parte dos pagamentos.

E aí, aprendeu como deve proceder para evitar demissões durante a pandemia do novo coronavírus? Agora que você já conhece essas 5 ações, pode começar a agir de modo a reduzir os seus custos e passar pela situação sem precisar demitir seus funcionários.

Aproveite que este artigo foi útil e compartilhe-o em suas redes sociais, marcando alguns colegas empresários!

Deixe seu comentário

WhatsApp chat