Contabilidade para representante comercial: como fazer do jeito certo

Imagem mostra profissional buscando uma contabilidade para representante comercial

Atuar com representação comercial é uma atividade que pode ser muito lucrativa, mas que também exige uma boa estratégia de contabilidade para esse profissional. Afinal, a representação comercial é uma atividade feita via prestação de serviço e o profissional deve, portanto, ter um CNPJ para que possa declarar seu faturamento e realizar suas demandas contábeis da maneira correta.

Infelizmente, muitos representantes comerciais abrem MEI para atuar na área. No entanto, essa não é uma prática permitida. O que acontece é que só podem ser MEI as atividades que não são regulamentadas por lei específica. No entanto, a representação comercial é regulamentada pelas leis n.º 4.886/65 e n.º 8.420/92). Mesmo assim, muitos representantes abrem MEI com a atividade de promoção de vendas, que é bem diferente. Por isso, o CORE (Conselho Regional dos Representantes Comerciais) de cada estado faz fiscalizações para evitar essa situação.

Sendo assim, qual é a maneira certa de lidar com a contabilidade para representante comercial? Vejamos a seguir!

Contabilidade para representante comercial: 3 pontos de  atenção

1. Regime tributário

O primeiro ponto a definir na sua estratégia de contabilidade para representação comercial é saber qual o regime tributário mais vantajoso para você. Não existe uma regra definida que diz que um regime em específico é o melhor para o seu caso. 

No geral, existem 3 opções de regimes tributários para os representantes comerciais:

Cada um deles tem as suas características e geralmente as pessoas esperam que o Simples Nacional seja o mais vantajoso. Afinal, ele é um regime tributário simplificado, com cobrança de impostos menos complicada. A ideia é, justamente, oferecer um caminho mais simples para o pequeno empresário ou profissional liberal.

No entanto, o Simples Nacional nem sempre é a opção mais vantajosa para o representante comercial. Em alguns contextos, o Lucro Presumido ou Lucro Real podem ser opções mais interessantes.

Por exemplo, suponha um cenário em que o faturamento mensal de um representante comercial foi de R$10.000,00 durante todo o ano. Em cima desse faturamento, além dos custos de atividade, ele pega um pró-labore no valor de um salário mínimo atual (cerca de R$1.100,00). Considerando que o ISS da cidade onde o profissional atua é de 2%, o total da carga tributária no Lucro Presumido seria de 13,33%. Já no Simples Nacional, a carga seria de 15,50%. Ou seja: valeria a pena usar o Lucro Presumido.

Já em um ambiente com ISS de 4,5%, o Lucro Presumido passaria a ter uma carga tributária maior do que o Simples Nacional e, portanto, seria melhor usar o Simples do que o Lucro Presumido.

Dessa forma, é necessário ter o apoio de um contador para fazer a escolha do regime tributário que faça mais sentido dentro do seu contexto.

2. Responsabilidades recorrentes

Um segundo ponto importante a ter em mente é que existem várias responsabilidades recorrentes dentro da contabilidade para representante comercial. Por exemplo, é necessário pagar determinadas guias, entregar declarações e documentos em um período específico.

Planejar-se para todas essas responsabilidades é essencial para evitar multas, reduzir os custos e garantir uma melhor saúde financeira. Imagine um MEI que precisa pagar R$61,00 por mês de DAS. Pode pagar mais de R$11,00 de multa por mês de atraso, fora os juros cobrados em cima do valor. Se atrasar todos os meses, são mais de R$130,00 perdidos por ano.

Isso considerando o MEI, que não é o nosso caso aqui. As multas e juros para atrasos no Simples Nacional ou no Lucro Presumido são maiores. Por causa disso, o prejuízo com atrasos pode ser muito grande.

3. Contador contratado

Por fim, é importante pensar nas características próprias do escritório de contabilidade contratado por você. Isso porque cada escritório tem um sistema de trabalho e pode trazer vantagens específicas.

Por exemplo, um escritório de Contabilidade Digital trabalhará com tecnologias inovadoras para garantir um melhor desempenho ao lidar com as demandas contábeis dos seus clientes.

Além disso, alguns escritórios ajudam com o planejamento tributário completo para que o profissional tenha a menor carga tributária possível dentro da legalidade e do contexto de cada um.

Por isso, vale a pena encontrar um bom escritório para contratar, considerando tudo isso que foi dito. Caso você já tenha um contador, mas não esteja satisfeito com seu trabalho, saiba que é possível trocar por um escritório mais adequado para o seu perfil sem dificuldades. Saiba como em nosso ebook!

Pronto! Agora que você já viu alguns pontos básicos da contabilidade para representante comercial, é hora de colocar esse conhecimento em prática e contratar um profissional especialista para lidar com essas obrigações para você. Lembre-se de que é melhor seguir as regras e a legislação pois, em longo prazo, o prejuízo de ter de pagar uma multa ou algo do tipo pode ser muito maior do que qualquer economia feita hoje.

Quer saber como um escritório de contabilidade pode ajudar a otimizar a sua representação comercial? Então entre em contato com o nosso time agora mesmo!

Deixe seu comentário

WhatsApp chat