5 práticas comerciais para adotar na crise do novo coronavírus

Confira algumas das principais práticas comerciais para enfrentar o coronavírus

Muitos empresários estão focados atualmente em estabelecer ações e boas práticas comerciais para combater os efeitos econômicos causados pelo novo coronavírus.

De acordo com a CNN Brasil, mais de 600 mil empresas já fecharam as suas portas desde o início da crise causada pela proliferação da Covid-19 pelo país.

Isso mostra como é essencial entender quais são as melhores práticas comerciais para se manter em operação durante a pandemia do novo coronavírus.

Quer saber mais sobre o assunto? Então siga a leitura do artigo abaixo para entender quais são as melhores práticas a serem adotadas.

1. Foque em ações de segurança para os seus funcionários

Uma das principais ações comerciais a adotar durante a crise do novo coronavírus é estabelecer ações que garantam a segurança dos seus funcionários.

Para saber o que fazer, é importante determinar se a sua empresa é um dos negócios que podem ou não seguir com o atendimento ao público de acordo com as regras locais da quarentena.

Em São Paulo, pelo menos até o dia 10 de maio de 2020, as seguintes empresas podem continuar trabalhando:

  • hospitais, clínicas, lavanderias, farmácias, serviços de limpeza e hotéis;
  • supermercados e congêneres, serviços de delivery e drive-thru de restaurantes, bares e padarias;
  • transportadoras, postos de combustível, oficinas mecânicas, bancas de jornal e armazéns;
  • empresas de segurança privada;
  • meios de comunicação social;
  • todas as empresas autorizadas por Decreto Federal.

A partir dessa data, o Governo de São Paulo anunciará um novo plano para flexibilização da quarentena no estado.

Se a sua empresa estiver na lista, então será necessário estabelecer uma rotina de cuidados para garantir a segurança dos seus colaboradores, incluindo a presença de máscaras e álcool em gel 70% no ambiente de trabalho.

Já se a empresa não estiver na lista, então não precisará abrir para o público e poderá trabalhar no regime de home office para que possa evitar os riscos de contaminação.

2. Analise seus gastos fixos e variáveis para diminuir suas despesas

A segunda das principais práticas comerciais para se defender das ações do novo coronavírus é fazer uma análise completa dos seus gastos.

Isso é necessário pois podemos entender as nossas despesas durante um período de crise como um “vazamento” dentro do nosso fluxo de caixa.

Assim, é importante diminuir o vazamento ao mínimo possível para que o fluxo de entrada de receitas durante o período seja equivalente ou maior do que as saídas de dinheiro do seu caixa.

Por isso, é importante fazer uma análise de todos os gastos e ver o que é necessário, o que pode ser substituído por algo mais barato ou  até mesmo gratuito.

3. Invista em maneiras de fazer negócios pela Internet

Um dos problemas econômicos que a crise do novo coronavírus trouxe é o fato de que muitos negócios tiveram de fechar as portas por não poder atender o público.

Não é à toa, por exemplo, que lojas de roupas perderam mais de 90% do movimento durante esse período.

No entanto, é possível se manter em operação caso seja possível fazer negócios pela Internet, ou seja: se você conseguir vender os seus serviços/produtos online.

Mesmo que a sua empresa não produza serviços ou produtos digitais, é possível vendê-los pela Internet e usar os serviços que permanecem abertos, como os Correios ou serviços de delivery, para entregá-los aos consumidores.

Dessa maneira, ainda que não seja o ideal, há um fluxo de entrada de receitas para ajudar a empresa a se manter em operação.

4. Ofereça vouchers pré-pagos para seus clientes

Se a sua empresa exige um modelo presencial de negócios, como um bar que não pode servir seus produtos via delivery, por exemplo, então uma estratégia para combater a crise do novo coronavírus é oferecer vouchers pré-pagos para os seus clientes.

Esses vouchers funcionam da seguinte maneira: o cliente compra e paga por eles agora e ganha o direito de consumir o serviço ou o produto em algum momento no futuro, quando o isolamento social passar.

Isso ajuda a manter a sua empresa com o caixa girando e pagando as contas, sem precisar necessariamente prestar os serviços agora.

No futuro, quando a crise passar, os serviços poderão ser prestados e os produtos entregues aos consumidores.

A vantagem de contar com eles é que você continua faturando, mesmo que seja em um nível um pouco menor, caso alguns dos seus consumidores não aceitem o negócio.

Além disso, como você só prestará o serviço no futuro, não terá gastos imediatos com eles, então poderá aproveitar ao máximo o valor de cada voucher.

5. Estude as linhas de crédito do governo

O governo aprovou uma série de linhas de crédito para ajudar as empresas a passarem por essa crise. 

As opções de financiamento que o governo aprovou ajudam as empresas a manter em dia a folha de pagamento, quitar compromissos e manter o funcionamento das suas operações a juros baixos e facilidades para pagar.

Agora que você já conhece algumas das principais práticas comerciais para combater a crise, está melhor equipado para assegurar os compromissos do seu negócio e manter seu funcionamento.

Gostou das nossas dicas? Então curta a nossa página no Facebook para acompanhar mais conteúdos especializados!

Deixe seu comentário

WhatsApp chat